quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O ciclo das sacolas plásticas

Assista abaixo uma animação produzida pelo Akatu Mirim, braço do Instituto Akatu que trabalha com o consumo consciente entre as crianças. O filme explica o ciclo de vida das sacolinhas plásticas.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Estudo alerta para perigo de doses acima do recomendado de paracetamol

Consumir uma dose um pouco acima da recomendada do analgésico paracetamol por um longo período de tempo - mesmo que apenas por uma questão de dias - pode causar graves danos à saúde, de acordo com pesquisadores britânicos.

 


Consumir uma dose um pouco acima da recomendada do analgésico paracetamol por um longo período de tempo - mesmo que apenas por uma questão de dias - pode causar graves danos à saúde, de acordo com pesquisadores britânicos.
Cientistas da Universidade de Edimburgo analisaram 161 casos do que chamaram de "overdose escalonada" durante um período de seis anos.
Os pesquisadores descobriram que muitas pessoas que usam os comprimidos contra dor não percebem quando tomam mais do que o permitido e não se dão conta dos danos causados pelo consumo excessivo do remédio ao fígado.
Segundo os pesquisadores, este problema geralmente também não é detectado pelos médicos no início, pois os exames de sangue não indicam níveis excessivos de paracetamol após a ingestão inicial superior à indicada.
O estudo, publicada na revista British Journal of Clinical Pharmacology, sugere que os efeitos para a saúde de overdoses escalonadas - mesmo que modestas - de paracetamol são mais graves do que uma única overdose com grande quantidades de comprimidos.
Fígado
Kenneth Simpson e sua equipe analisaram os registros médicos de 663 pacientes que foram encaminhados para a Unidade Escocesa de Transplante de Fígado, no hospital da Universidade de Edimburgo, devido a problemas do fígado induzidos por paracetamol.
Os 161 casos que tiveram a overdose escalonada tinham mais chances de desenvolver problemas no fígado e cérebro e de precisar de diálise ou ajuda para respirar. Eles também tinham mais chances de morrer devido a estas complicações.
´Eles não tomaram overdoses grandes e únicas, aquelas que ocorrem em um único momento, tomadas por pessoas que tentam cometer suicídio, mas no decorrer do tempo o dano se acumula e o efeito pode ser fatal´, disse Simpson.
Para o professor Roger Knaggs, da Royal Pharmaceutical Society da Grã-Bretanha, o estudo indica que "se você tomar mais paracetamol do que o recomendado, você não vai melhorar o controle da dor, mas poderá prejudicar sua saúde".
"Se as pessoas estão sentindo dor e o paracetamol não ajuda, ao invés de pensar em aumentar a dose, eles devem consultar o farmacêutico para outro tipo de controle da dor ou consultar alguém que possa ajudar (a entender) a causa da dor", disse.

Fonte:IDVF

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Leitura Crítica de "Earth Song" (de Michael Jackson)

A música "Earth Song" ou Canção da Terra, de Michael Jakson diz tudo sobre os problemas ambientais, que infelizmente é causado pelo homem e negligenciado pelos governos. O clip da música emociona ao mostrar imagens chocantes de nosso planeta Terra. Na época do seu lançamento foi revolucionário para o movimento ambientalista. Esta música é um apelo desesperado em nome do planeta e seus habitantes.

Ao verificar as imagens, percebe-se que o autor está falando mais do que simplesmente em meio ambiente, está colocando uma conjuntura que vai desde o ambiental, econômico ao social, e que tudo que é mostrado seja produto de um sistema injusto ou criminoso que, visa pela ganância o lucro e o capital e esquece da vida, do humano, da solidariedade – elementos indispensáveis para a paz e a harmonia social. É como se estivesse também denunciando o modelo político concentrador de renda na imagem do corporativismo, a nova face do capitalismo que se erigiu na sombra do neoliberalismo que, ao mesmo tempo que gerava renda formando centenas de milionários, gerava também milhões de excluídos pelo mundo afora. Esta política difundida por Washington como estratégia se apossou da riqueza dos povos, no estado mínimo "doutrinado". O que muito contribuiu para a concentração de renda e poder de grandes companhias internacionais, esvaziando a riqueza dos povos tendo como consequência toda conjuntura das imagens exibidas.

A imagem do planeta sobre duas mãos pode provavelmente significar o livre arbítrio, ou fato de que está em nossas mãos o destino desse planeta, ou melhor, depende de nós. Não é o fatal destino que determina, e sim nossas ações. No final, novamente aparece a mesma imagem, podendo evocar o que foi citado, ou dizer que outras mãos, ou melhor, outras gerações estarão aguardando este patrimônio dado por Deus a humanidade no futuro, e que eles merecem a dignidade de recebê-lo digno de viver e ser habitado no devido equilíbrio.

Os problemas não se resolverão por si, e para serem resolvidos requerem ações planejadas, determinadas e conscientes que vai desde o indivíduo, do governo e de empresas. Não existe um único culpado e todos sofrerão as consequências em igual parcela. Desta forma, em igual parcela cabe a responsabilidade de ação e solução ao problema, que perpassa toda uma conjuntura que vai além do ambiental.

A frase "Do not expect from them to change", cuja tradução é: "Não espere deles a mudança". Deles quem? Das alta potências que controlam a economia mundial ou corporativismo concentrador de renda? Ou dos governos de modo geral?

A imagem com o macaco sofrendo sanção de pena de morte pode ser uma alusão a potência e prepotência americana acerca de sua omissão sobre o problema ambiental do planeta, o que corresponde decretar pena de morte às florestas, aos animais, ao meio ambiente, enfim, ao planeta, e consequentemente, ao ser humano.

A mensagem final diz "Do not your ears and eyes... to this!!!", cuja tradução é: Não feche seus ouvidos e olhos... para isto!!! É o que fazem as grandes potência, que dos países periféricos, o que interessa é o lucro, o que tem a ganhar. E ao mesmo tempo, um pedido de socorro a todos pelo meio ambiente.

Confira o vídeo:



Fonte:http://escolatrajanonobregaprojetoinclusao.blogspot.com

domingo, 27 de novembro de 2011

Memórias de minhas pintas tristes

Você sabe o que é MELANOMA???

Embora seja o mais frequente, o câncer de pele tem cura se for diagnosticado cedo. Por isso, fique atento às pintas e sinais no seu corpo. Proteja-se, use sempre protetor solar!

Esta é uma produção do Núcleo de Divulgação do Programa de Oncobiologia, vinculado ao Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ.
A animação foi idealizada para surdos e ouvintes sob a técnica de rotoscopia

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Plantas Medicinais

No site http://www.anvisa.gov.br/ é possível encontrar informações completas sobre as ervas medicinais, como a forma de utilização, nomenclaturas na botânica e popular, ação terapêutica, contraindicações e efeitos colaterais.

Os benefícios das chamadas “drogas vegetais” passam de geração em geração. Quase todo mundo já ouviu falar de alguma planta, folha, casca, raiz ou flor que ajuda a aliviar os sintomas de um resfriado ou mal-estar. Unindo ciência e tradição, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quer popularizar esse conhecimento, esclarecendo quando e como as drogas vegetais devem ser usadas para se alcançar efeitos benéficos. A medida faz parte da RDC 10, publicada no 10/03/2010.
“O alho é um famoso expectorante e muita gente tem o hábito de usá-lo com água fervente. No entanto, para aproveitar melhor as propriedades terapêuticas, o ideal é deixá-lo macerar, ou seja, descansar em água à temperatura ambiente”, explica a coordenadora de fitoterápicos da Anvisa, Ana Cecília Carvalho.
Inaladas, ingeridas, usadas em gargarejos ou em banhos de assento, as drogas vegetais têm formas específicas de uso e a ação terapêutica é totalmente influenciada pela forma de preparo. Algumas possuem substâncias que se degradam em altas temperaturas e por isso devem ser maceradas. Já as cascas, raízes, caules, sementes e alguns tipos de folhas devem ser preparados em água quente. Frutos, flores e grande parte das folhas devem ser preparadas por meio de infusão, caso em que se joga água fervente sobre o produto, tampando e aguardando um tempo determinado para a ingestão.

 

Outro ponto da resolução diz respeito à segurança: as empresas vão precisar notificar (informar) à Agência sobre a fabricação, importação e comercialização dessas drogas vegetais no mínimo de cinco em cinco anos. Os produtos também vão passar por testes que garantam que eles estão livres de microrganismos como bactérias e sujidades, além da qualidade e da identidade. Além disso, os locais de produção deverão cumprir as Boas Práticas de Fabricação, para evitar que ocorra, por exemplo, contaminação durante o processo que vai da coleta, na natureza, até a embalagem para venda. As embalagens dos produtos deverão conter, dentre outras informações, o nome, CNPJ e endereço do fabricante, número do lote, datas de fabricação e validade, alegações terapêuticas comprovadas com base no uso tradicional, precauções e contra indicações de uso, além de advertências específicas para cada caso.

Drogas vegetais e fitoterápicos

As drogas vegetais não podem ser confundidas com os medicamentos fitoterápicos. Ambos são obtidos de plantas medicinais, porém elaborados de forma diferenciada. Enquanto as drogas vegetais são constituídas da planta seca, inteira ou rasurada (partida em pedaços menores) utilizadas na preparação dos populares “chás”, os medicamentos fitoterápicos são produtos tecnicamente mais elaborados, apresentados na forma final de uso (comprimidos, cápsulas e xaropes).
Todas as drogas vegetais aprovadas na norma são para o alívio de sintomas de doenças de baixa gravidade, porém, devem ser rigorosamente seguidos os cuidados apresentados na embalagem desses produtos, de modo que o uso seja correto e não leve a problemas de saúde, como reações adversas ou mesmo toxicidade.
Fonte: Blog Biorritmo




segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Prato Colorido

Quanto mais colorido for seu prato, mais saudável ele será

As cores determinam as substâncias que ajudam na prevenção do organismo

Coloque cor no seu prato. Com uma dieta colorida você não tem como deixar de fazer uma alimentação balanceada.

As cores dos alimentos são determinadas pelos pigmentos, substâncias que exercem funções na prevenção e proteção do nosso organismo contra as infecções.

Uma refeição equilibrada deve ter no mínimo quatro cores. Quanto mais variedade na cor, mas ela oferece nutrientes que irão combater os radicais livres.

Alimentos amarelos ou alaranjados como cenoura, abóbora, maracujá, mamão, laranja, manga, tangerina, caju, pêssego, damasco auxiliam no processo da digestão, atuam como antioxidante, combatem os radicais livres, protegem o coração e contribuem para manter a saúde das artérias, ativando a circulação sanguínea e combatendo os processos inflamatórios.

Alimentos brancos como batata, leite, queijo, arroz, cebola, alho, banana, couve-flor, possuem carboidratos, e substâncias antiflamatórias que promovem a saúde da pele, dentes e músculos; são fontes de cálcio e potássio, que ajudam na formação e manutenção dos ossos, na regulação dos batimentos cardíacos, na renovação celular e bom funcionamento do sistema nervoso.

Alimentos roxos ou pretos como figo, uva, ameixa, jabuticaba, feijão preto, repolho roxo, amora, alcachofra, berinjela retardam o envelhecimento e transformam carboidratos em energia, combatem o aparecimento de doenças cardíacas e melhoram o sistema imunológico.

Alimentos vermelhos como melancia, tomate, morango, framboesa, maça vermelha, caqui são antioxidantes, previnem o câncer de próstata e melhoram a circulação sanguínia.

Alimentos verdes como kiui, limão, brócolis, espinafre, pimentão, salsão e ervas são ricos em vitaminas A e C, protegem o sistema imunológico, desintoxicam as células, inibem os radicais livres, tem efeito anticancerígeno e protegem o coração e a pele.

Alimentos marrons como nozes, amêndoas, aveia, castanhas e cereais integrais regulam o funcionamento do intestino, combatem a ansiedade, depressão, auxiliam no controlo do colesterol e diabetes, previnem o câncer e doenças cardiovasculares.

Fonte: R7

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Alimentos à base de Aloe vera estão proibidos

A venda, fabricação e importação de alimentos e bebidas à base de Aloe vera estão proibidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União e, de acordo com a Anvisa, não existe registro nem comprovação da segurança do uso do componente para esse fim.

A planta Aloe vera, conhecida popularmente como babosa, é empregada principalmente em produtos cosméticos para os cabelos, o que continua permitido.

Mas, segundo informações da Agência Brasil , também era encontrada em bebidas e alimentos, até mesmo com função de emagrecimento.

Porém, para ter permissão de ser comercializada desta maneira, a planta precisaria se submeter ao registro da Anvisa, por pertencer à categoria de “novos alimentos”.

O uso da Aloe vera é regulamentado apenas como aditivo na função de aromatizante de alimentos e bebidas, o que continua sendo permitido, de acordo com a Agência Brasil.


Fonte: Blog da Saúde

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Médicos explicam as causas do mau hálito

Alimentação, álcool e falta de higiene bucal levam ao odor desagradável

O mau hálito, ou halitose, atinge 40% da população mundial. Isto é, quase metade das pessoas sofrem com o problema. Apesar da questão ainda ser um tabu, pela dificuldade de ser dita, é possível saber suas causas e tratá-la.

As causas do mau hálito podem estar relacionadas a 97 doenças. Mas tem origem mais comum na falta de higiene bucal e na alimentação.

Cigarro, álcool e café, assim como o jejum prolongado e uma alimentação rica em derivados do leite e proteínas, como a carne, também podem causar mau hálito.

No vídeo abaixo, médicos dão dicas de como descobrir se você tem mau hálito e de como tratá-lo.

Assista:

video
Fonte: R7

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Dez dicas para uma cozinha sustentável

Para muitos, a cozinha é a melhor parte da casa. Lugar não apenas das refeições, ela consegue reunir a família de forma aconchegante e descontraída. Então que tal transformar a sua cozinha em um ambiente mais sustentável? Segue dez dicas simples de como colocar essa ideia em prática.

1 – Limpe o condensador da sua geladeira e mantenha a temperatura regulada

A geladeira é, sem dúvida, um dos eletrodomésticos mais úteis e essenciais dentro de uma casa. Porém, ela é também uma das maiores responsáveis pelo consumo de energia. Limpar as bobinas do condensador pode reduzir em 30% o consumo de eletricidade.

Segundo o site Daily Tips, a poeira que geralmente se acumula nessa parte da geladeira pode aumentar o consumo de energia do equipamento. Por isso, arraste sua geladeira de vez em quando e passe um pano seco ou um espanador onde estiver sujo.

Outra dica é manter a temperatura do equipamento regulada. A geladeira não precisa estar a menos de 3ºC e o freezer pode ficar a -15ºC. Menos do que isso é gasto de energia e dinheiro desnecessário. E se seu equipamento não tiver um termômetro embutido, vale a pena investir em um.

2 – Cozinhe em quantidade e congele

Separe um dia para preparar várias refeições para todo o mês ou a semana. Depois basta guardar no freezer e reaquecer no dia de consumi-la. Essa prática ajuda a economizar tempo, ingredientes e energia.

Cada vez que você vai para a cozinha preparar uma refeição você consome uma enorme quantidade de água, eletricidade (geladeira, microondas, liquidificadores, etc), gás e também de alimentos, já que sempre sobra um pedaço de legume ou um punhado de tempero que termina no lixo.

3 – Descongele os alimentos naturalmente

Na hora de descongelar, nada de microondas. Para quê gastar eletricidade se podemos fazer isso naturalmente? Basta retirar os alimentos do congelador um pouco antes e aguardar.

Você pode deixar o alimento em ambiente natural para acelerar o descongelamento (lembre-se sempre de mantê-lo protegido de moscas e outros insetos) ou na geladeira, para que degele aos poucos.

4 – Desentupa a pia sem produtos químicos

O ralo da pia entupiu? Nada de pânico ou produto químicos. É possível fazer a água voltar a correr sem precisar apelar para essas substâncias. Para começar, procura usar o velho desentupidor. Caso ele não resolva o problema, tente as seguintes opções.

• Primeiro solte a gordura, jogando água fervente na pia entupida.
• Se isso não resolver o problema, pegue um desentupidor e encha a pia com alguns centímetros de água.
• Cubra com uma mão a saída auxiliar, se houver, para manter a pressão, e então aperte com força o desentupidor, para empurrar a água cano abaixo.
Problema resolvido, sem nenhum produto químico!

5 – Mantenha o microondas desligado

O forno microondas funciona apenas por alguns minutos do dia, mas costuma permanecer ligado o tempo todo. Retirá-lo da tomado após esquentar a comida é uma opção para poupar energia e economizar na conta de luz.

É como se o forno continuasse ligado e consumindo gás, mesmo após o preparo das refeições. Portanto, lembre-se de retirá-lo da tomada quando não estiver em uso e ligue-o de volta apenas na hora de esquentar o almoço e preparar a pipoca.

6 – Use esponjas vegetais

Sabe aquela esponja de limpeza que a maioria das pessoas usa para lavar a louça? Pois bem, saiba que ela é feita de produtos derivados do petróleo e, portanto, não ajuda em nada o meio ambiente quando é descartada. Por isso, prefira as buchas vegetais.

Elas são feitas com fibras 100% naturais, ou seja, são totalmente biodegradáveis. Além disso, ela é mais barata, durável, higiênica (já que dificulta o acúmulo de bactérias) e ainda pode ser higienizada e reaproveitada após um determinado tempo de uso.

Basta fervê-la em água ou mergulhá-la em uma solução de água e cloro por 30 minutos para deixá-la livre de bactérias e branquinha novamente.

7 – Deixe a louça de molho

Uma boa dica para poupar água e ainda utilizar menos detergente é deixar louças, talheres e panelas de molho por alguns minutos antes de lavar. A água irá facilitar a limpeza e você não precisará deixar a torneira aberta por tanto tempo, nem utilizar tantos produtos químicos.

Quando for lavar a louça, tampe o ralo da pia ou coloque tudo dentro de um balde com água. Depois de um tempo, retire os pratos, talheres e panelas e lave como de costume. Mas lembre-se, mantenha a torneira fechada sempre que estiver ensaboando e use a menor quantidade possível de detergente.

8 – Feche a porta da geladeira

Depois de pegar ou guardar algo na geladeira, certifique-se de que ela ficou bem fechada e não deixe a porta aberta por muito tempo. Quando isso acontece, a temperatura no interior do aparelho sobe e ele tem que trabalhar mais para compensar, gastando mais energia.

Alguns equipamentos possuem um sistema de trava, que impede que a porta se abra imediatamente após ser fechada. Ele faz isso para regular a temperatura no seu interior e manter os alimentos frescos e o seu funcionamento em dia. Portanto, nada de forçar para que ele abra.

Outra medida importante é checar periodicamente se a borracha de vedação está em bom estado. Uma dica é colocar uma folha de papel na porta da geladeira e fechá-la. Se a folha ficar presa é porque a borracha está em boas condições, se ela escorregar é porque a vedação já precisa de um reparo.

9 – Não descarte óleo de cozinha na rede de esgoto

Após preparar as refeições, não jogue o óleo de cozinha pelo ralo na pia, já que isso pode entupir as tubulações e contaminar a água. Em vez disso, junte o óleo e entregue-o para a reutilização e reciclagem.
Você ainda pode criar novos produtos caseiros com o óleo de cozinha, como sabonetes artesanais.

10 – Tampe as panelas e não abra a porta do forno

Parece obvio, não é? E é mesmo! Ao tampar as panelas enquanto cozinha você aproveita o calor que simplesmente se perderia no ar. Com isso você economiza gás e ainda garante que seu almoço ficará pronto mais cedo.

Outra boa idéia é cozinhar na panela de pressão. Acredite, dá pra fazer de tudo ali: feijão, arroz, macarrão, carne, peixe, etc. É muito mais rápido e você pode economizar até 70% de gás.

Outra dica importante é evitar abrir a porta do forno para olhar o que está lá dentro. Isso desperdiça muito calor, o que faz com que o equipamento tenha que ficar ligado por mais tempo, consumindo mais energia.
Uma boa maneira de saber como está o preparo do alimento sem precisar abrir a porta do forno é utilizando a luz interna. Equipamentos com temporizador também permitem monitorar o cozimento sem precisar abrir a porta o tempo todo.

Você ainda pode desligar o forno um pouco antes do tempo previsto. O equipamento manterá a temperatura interna alta durante algum tempo, o que permite que o prato fique pronto utilizando menos energia.
(EcoD)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Romã previne doenças do coração, alivia o estresse e melhora a vida sexual, diz estudo

Fruta está sendo usada por pesquisadores como elixir da juventude

A romã pode ajudar a prevenir doenças cardíacas, aliviar o estresse e ainda melhorar sua vida sexual. A fruta está sendo usada como o elixir da juventude, dizem especialistas. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Um estudo encontrou uma dose diária que pode tornar o processo de envelhecimento mais lento. Porém, a dose ideal não foi divulgada.

Um extrato da fruta inteira - incluindo casca e sementes - foi dado a 60 voluntários no formato de cápsula.
Pesquisadores monitoraram a atividade de produtos químicos em seus corpos em comparação com aqueles que tomaram um placebo.

Eles verificaram uma diminuição significativa em um marcador associado a danos celulares, o que pode causar deficiência no cérebro, músculos, função hepática e renal, assim como efeitos do envelhecimento na pele.

Essa diminuição - um benefício até então desconhecido da romã - está sendo pensada para retardar a oxidação ou "ferrugem" do DNA nas células que ocorre naturalmente ao longo do tempo, de acordo com os pesquisadores do laboratório privado ProbelteBio, na Espanha.

Sérgio Streitenberger, que liderou o estudo, disse estar muito animado com os resultados.
- Isso demonstra que acreditamos que o consumo regular do extrato de romã pode retardar o processo de oxidação do DNA, uma maneira de olhar para o envelhecimento é pensar nela como ferrugem ou oxidação, um processo prejudicial. Ser capaz de se proteger contra esse processo seria um avanço significativo.

Sua equipe - cujo estudo será publicado ainda neste mês - encontrou uma diminuição dos níveis de um marcador químico chamado 8-Oxo-DG em testes de urina dos participantes.

A romã tem sido reconhecida como um superalimento, durante séculos, e contém vitaminas A, C e E, bem como ferro e antioxidantes - substâncias químicas que ajudam a neutralizar as moléculas de oxigênio nocivas conhecidas como radicais livres.

Fonte: R7 Notícias

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Formulário de Fitoterápicos

O Brasil ganha sua primeira edição do Formulário Nacional de Fitoterápicos. A publicação, que integra a Farmacopeia Brasileira, traz 83 monografias de medicamentos, como infusões, xaropes e pomada.

Na prática, o documento é um tipo de guia para a fabricação de medicamentos fitoterápicos, já que foram definidos padrões únicos. Estão registradas informações sobre a forma correta de preparo e as indicações e restrições de uso de cada espécie.

Histórico

Desde 1978, a Organização Mundial da Saúde reconhece oficialmente o uso de fitoterápicos. No Brasil, a política de uso de plantas medicinais teve início em 1981. Mais recentemente, o decreto 5.813/2006 instituiu a Política Nacional de Plantas Medicinais.



Fonte: Blog da Saúde

Acabe com a Gota



A gota é um tipo de artrite que, na maioria dos casos, se manifesta como dor no dedão do pé, mas pode ainda atingir outras articulações.
Os sintomas são de dor nas juntas, inchaço e endurecimento, em virtude do excesso de ácido úrico que forma cristais nas articulações.
O ácido úrico, aliás, está associado a outras doenças como diabetes, hipertensão, doenças renais e colesterol alto.

 É possível reduzir as dores através da alimentação. Os alimentos certos vão variar de acordo com o seu tipo de metabolismo. Evitar o açúcar pode reduzir o problema, o que ocorre em 85% dos casos, de acordo com pesquisas. O ideal é começar eliminado refrigerantes e sucos de fruta artificiais.

Embora seja uma doença mais diagnosticada nos homens, as mulheres passam também a ter crises de gota após a menopausa. O controle ideal da dieta deve ser feito com nutricionista. Alguns pacientes conseguem controlar o ácido úrico somente com dieta, onde o defeito enzimático é menor.

Fonte:Vila Mulher

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Guia de Eletrônicos Verdes

Após cinco anos de liderança no mercado, o Guia de Eletrônicos Verdes, mais abrangente ranking de boas práticas das principais empresas do setor, ficou mais criterioso. Melhor para as empresas que assumem e honram seus compromissos ambientais, pior para aquelas que só fazem promessas. Nesta edição, o Greenpeace parabeniza HP, Dell e Nokia, as três primeiras colocadas, e condena grandes como Toshiba e LGE, na lanterna.

Para encabeçar a lista, que já virou referência para consumidores de todo o mundo, fabricantes de equipamentos eletrônicos precisam, além de demonstrar que seus produtos não contém substâncias químicas perigosas à saúde humana e ambiental, comprovar práticas de redução de emissões de carbono, através de planos de limpeza da matriz elétrica das empresas. O ciclo de vida dos equipamentos é avaliado desde o conteúdo de suas embalagens – papel proveniente de desmatamento ilegal, nem pensar - até o sistema de reciclagem praticado pelas marcas.

A multinacional americana HP lidera o ranking deste ano, com 5,9 pontos de 10. A boa marca vem de esforços em rastrear a cadeia produtiva de seus fornecedores, além de um programa efetivo de medição de emissões de carbono. Ao lado da também americana Dell, vice campeã com 5,1 pontos, dá exemplo de rigor com a matéria-prima que usa: as duas são as únicas empresas a zerarem o desmatamento ilegal do papel de suas embalagens. A empresa, no entanto, peca em políticas mais efetivas de reciclagem de seus produtos em países onde não há legislação específica.

Após amargar o 10o lugar na edição passada, a Dell finalmente consegue comprovar que está a caminho de eliminar substâncias maléficas, tais como o PVC, componente tóxico do plástico, da sua linha de computadores. Já a Nokia, campeã desde 2008, nesta versão cai para 3o lugar, por falta de estratégias de redução de consumo de energia, seja com eficiênca energética ou aumento do uso de renováveis.

"Ao incorporar o critério de uso de energia nos processos produtivos, o novo Guia de Eletrônicos mensura o impacto ambiental proveniente de emissões de gases de efeito estufa e outros poluentes", diz Ricardo Baitelo, da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace no Brasil. "O resultado final serve como motivação para que empresas equacionem este problema, adotando cada vez mais medidas de eficiência energética ou mesmo geração de energia renovável em suas unidades produtivas", complementa.

Na sequência vêm Apple – subiu posições com melhorias em seus equipamentos, mas somou poucos pontos em energia – Philips, Sony Ericsson, Samsung, Lenovo, Panasonic, Sony, Sharp, Acer, LG Eletronics, Toshiba e RIM. Entre as últimas colocadas, LG e Toshiba também não fizeram bonito em quesito de energia. A canadense RIM, fabricante dos celulares Blackberry, é nova no ranking.

Fonte: Instituto Carbono Brasil

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

HIV avança entre crianças nas regiões Norte e Nordeste

Enquanto a transmissão vertical --mãe-bebê-- do HIV vem caindo no Brasil, a tendência é de alta nas regiões Norte e Nordeste, segundo dados reunidos pelo Ministério da Saúde.
A taxa nacional de incidência da Aids em menores de cinco anos passou de 5,4 casos por 100 mil habitantes em 2000 para 3 em 100 mil em 2009. Nesse período, a taxa passou de 1,9 para 4 em 100 mil no Norte e de 1,4 para 2,3 por 100 mil no Nordeste.


A incidência do HIV entre crianças de até cinco anos é usada pelo governo como espelho da chamada transmissão vertical --principal causa de infecção nessa faixa etária. Esse tipo de contaminação pode ser evitado com tratamento médico.
 
Os dados são preocupantes, diz Jarbas Barbosa, secretário de vigilância em saúde do ministério. "Temos de dar um desconto porque melhoramos a detecção [do HIV], mas não há a tendência de redução que percebemos nos outros lugares. Em um país que oferece acesso universal ao antirretroviral, a gente espera a redução", afirma.
 
O Sul segue a tendência de queda, mas manteve a maior taxa de incidência em menores de cinco anos --de 9,4 em 2000 para 5,8 em 2009.

A feminilização da Aids, pré-natal malfeito e falta de teste de HIV em gestantes podem explicar o maior registro da transmissão vertical do HIV nessas duas regiões.

A meta do ministério é realizar o teste do HIV em 100% das grávidas em 2012 --a universalização consta do programa Rede Cegonha. Pretende-se usar o teste rápido, que detecta o vírus em minutos.

 
Os dados que apontam a disparidade regional da transmissão da Aids serão divulgados ainda esta semana pelo "Saúde Brasil 2010", estudo anual do Ministério da Saúde.

 
O documento mostra outra doença com grande variação regional: a hanseníase. A incidência da doença em 2010 foi de 1,56 por 10 mil habitantes. No Maranhão e em Mato Grosso, a taxa foi de 9,9 e 5 por 10 mil, respectivamente.

Fonte: Folha.com

sábado, 5 de novembro de 2011

O Lorax - a melhor história ambientalista para crianças, agora em filme

Em março do ano que vem chega às telonas uma versão em 3D de um dos melhores livros sobre ambientalismo para crianças, “The Lorax”. Trata-se de um dos livros mais conhecidos de Dr. Seuss (Theodor Seuss Geisel na vida real), um autor infantil muito lido nos Estados Unidos mas quase desconhecido no Brasil, em parte porque suas histórais são cheias de rimas e jogos de palavras quase intraduzíveis.

Geisel, que viveu entre 1904 e 1991, escreveu e ilustrou 46 livros, que superaram a marca de 100 milhões de exemplares vendidos (embora alguns autores falem em meio bilhão). “The Lorax”, uma fábula sobre os impactos ambientais da industrialização desenfreada, foi publicado em 1971, quando esta discussão  ainda engatinhava.

O filme está em fase de pós-produção nos estúdios da Universal Pictures e da Illumination Entertainment, sob os cuidados da equipe que produziu “Meu Malvado Favorito”, lançado no ano passado. Danny deVito empresta sua voz ao Lorax, uma criatura resmungona que luta para evitar que a sua floresta e todas as espécies que dependem dela sejam destruídas pelo ganancioso Once-ler.

Ao contrário de outros sucessos do autor (”The Cat in the Hat”, “Green Eggs and Ham”, “One Fish, Two Fish, Red Fish”), unanimemente amados nos EUA, “The Lorax” enfrentou e ainda enfrenta resistência. O setor madeireiro não gostou nada da forma como é retratado no livro e, no front oposto, alguns ambientalistas consideraram a figura do Lorax um retrato pouco simpático da militância. Entretando, a maior parte do movimento louva a história como um libelo que é eloquente sem ser chato.

O senso crítico e os temas afeitos à sustentabilidade são recorrentes na literatura de dr. Seuss. Numa de suas histórias mais conhecidas, “O Grinch” (que chegou ao Brasil em 200o em filme em que Jim Carrey interpreta o monstrengo que odeia o Natal), o autor ataca o consumismo enlouquecido.

Fonte: Instituto Carbono